O direito da pessoa e o direito da comunidade: dilema da saúde pública

Todos têm direito ao melhor na atenção à saúde. E o atendimento à saúde não se limita ao atendimento das necessidades do indivíduo, com tudo de melhor que ele merece. Até ai nada de novo. Também nada de novo quando falamos nas prioridades da atenção aos problemas mais básicos das doenças, como também na necessidade das ações coletivas que garantem a toda uma comunidade melhores condições de saúde.

E também nada é novo na discussão sobre os gastos enormes realizados pelo poder público para atendimento das necessidades de poucas pessoas portadoras de doenças raras. Coisa que ninguém pensaria ser contra. Assim como nada é novo que esses gastos, em muitos casos, talvez a maioria deles, é fomentado por uma rede de interesses que nem sempre podemos dizer ‘cristãos’, ou se não quisermos sair da ciência, ‘racionais’.

Esse o tema de uma excelente matéria da jornalista Cristiane Segatto, da Revista Época (16/03/2012 – http://revistaepoca.globo.com/tempo/noticia/2012/03/o-paciente-de-r-800-mil.html). Para quem quer entender melhor como funciona a ligação industria farmacêutica – médicos – pacientes e associações de portadores de doenças, se é que alguém ainda tem dúvidas sobre essa conexão, ou se é que alguém ainda precisa de notícias para compreender melhor as profundas questões de conflito de interesses e de delicadeza ética do problema, a matéria é imperdível. Ela simplesmente conta o caso de um dos pacientes mais caros do Brasil, e analisa com clareza e precisão o problema.

Nós só podemos parabenizá-la. E, profissionais que somos, tentar melhorar nossa consciência coletiva sobre o problema.

Seminário do CEMED – “Privatização nos Hospitais das Clínicas das Universidades Públicas: consequências para o ensino, a pesquisa e a extensão.”

Na próxima quinta-feira (22/03/12) às 12:30, estará conosco na Faculdade de Farmácia, o Prof. Dr. Henrique Gama Torres, discutindo o impacto da privatização dos Hospitais Universitários.

O Prof. Dr. Henrique Gama Torres é professor adjunto da Faculdade de Medicina da UFMG, já foi diretor do Hospital das Clínicas desta universidade e está atualmente como um dos diretores do Hospital Risoleta Neves.

 

 

Aguardamos vocês!